Perante a violência policial nas ruas de Compostela

No dia de ontem, por volta das 9h da manhá a policia espanhola chegava às portas do CSOA Escárnio e Maldizer na Zona Velha de Compostela, com ordem judicial de desalojo. Nesses momentos varias pessoas concentravam-se já fronte ao CSOA cumha faixa, sendo dispersados pola primeira carga policial do dia, para assim proceder a continuaçom ao tapiado do edifício.

Como resposta o movimento popular da cidade convocava concentraçom para às 20h na Praça 8 de março, a qual congregou ao redor de 400 pessoas, que acabariam saindo em manifestaçom pacifica polas ruas do casco velho. A normalidade mantivo-se até o momentoem que as forças do ordem do Estado espanhol cargam contra a cabeceira da manifestaçom sem motivo aparente, tal é como já tinham feito horas antes pola manhá. Ante as desmesuradas cargas, as manifestantes responderom legitimamente para defender-se da agressom policial, desencadeando enfrentamentos em diferentes ruas. O confronto saldou-se com varias pessoas lesionadas e umha inconsciente por culpa da brutalidade policial, está pessoa membro da nossa organizaçom, foi detida e levada ao hospital primeiramente, e à esquadra policial, onde passou a noite, posteriormente.

Desde às 9h do dia de hoje, dúzias de solidárias concentrarom-se às portas da comissária e dos julgados, a onde se encaminhou o companheiro para prestar declaraçom, à espera da sua posta em liberdade, a qual nom se deu até as 11:30h.

Desde Erguer Estudantes da Galiza, expressamos primeiramente, a nossa repulsa perante o desalojo do CSOA Escárnio e Maldizer, som os espaços autogeridos coma este, os que criam nos nossos bairros eixos de contra poder, de cultura e de encontro social, fora das dinâmicas do capital.

Assim, como também, rejeitamos a violenta intervençom policial sem motivo algum, e exigimos a imediata posta em liberdade sem cargos do nosso companheiro detido após os confrontos.

10, 100, 1000 centros sociais!

COMPARTIR/PARTILHARShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Aínda non hai comentarios

Por que non ser a primeira

Deixa unha resposta

O teu enderezo electrónico non se publicará Os campos obrigatorios están marcados con *